Horror Metal


The end is near! Lucifer’s angels of death are ready for attack. They’ve got only one aim: Total Destruction!”
“O fim está próximo! Os anjos de Lucifer da morte estão prontos para o ataque. Eles tem um único objetivo: Destruição total!
” – Destruction, EP “Sentence of Death” (1984)

Existem inúmeras manifestações artísticas do “Horror”, como o cinema, literatura, quadrinhos, RPG, e na música o agressivo tema também está presente, principalmente no “Heavy Metal” e suas facções. Em todos os gêneros costumamos rotular as subdivisões porque sempre existem diferenças entre elas, e também para facilitar a compreensão dos vários estilos. Assim como no “Horror” temos por exemplo o “gótico” e o “splatter”, no “Heavy Metal” existem várias facções destacando-se principalmente o “Death Metal”, cujo som é infinitamente brutal e agressivo, e as letras abordam uma temática mais violenta, a maioria com citações explícitas de “Horror”.
O “Death Metal” ainda tem várias ramificações como o “Splatter”, “Black”, “Doom”, e começou aproximadamente em 1982 com a banda suiça “Hellhammer”, sendo um estilo musical considerado como uma porrada sonora, com vocais guturais que parecem ecoar do próprio inferno e letras podres e sangrentas, que agridem os tímpanos mais sensíveis parecendo que seu cérebro está sendo esfolado violentamente contra um muro de pedras pontiagudas e cortantes.
E é notável como o “Death Metal” é forte no meio underground com um universo vastíssimo de bandas, fanzines e fãs no mundo todo, e com um movimento bem sólido no Brasil.
Os nomes e logotipos das bandas, capas dos discos e CDs, e principalmente as letras das músicas são puras referências ao “Horror”, como podemos ver em nomes de músicas como “Vomited Anal Tract” e “Feast on Dismembered Carnage” do “Carcass”, “Carnage in the Temple of the Damned” do “Deicide”, “Premature Autopsy” do “Entombed”, “Post Mortal Ejaculation” do “Cannibal Corpse”, “Bitch Death Teenage Mucous Monster From Hell” do “Impetigo”, ou “Blood, Pus and Gastric Juice” do “Pungent Stench”.
Ou nas capas dos discos como do “Celtic Frost” (To Mega Therion) e “Massacre” (Corpse Grinder), ilustradas pelo especialista H. R. Giger, que desenhou os cenários de “Alien” (1979); do “Destruction” (Mad Butcher), que traz um açougueiro psicopata em seu matadouro humano; ou ainda a capa de “Reek of Putrefaction” do “Carcass”, que traz uma montagem com cenas de cadáveres humanos desmembrados.
Cannibal Corpse, Pungent Stench, Carcass, Deicide, Suffocation, Death, Morbid Angel, Autopsy, Entombed, Dismember, Malevolent Creation, Possessed, Slayer, Bathory, Venom (estas quatro últimas mais antigas) são apenas algumas das bandas cujas temáticas líricas são tão sangrentas quanto os maiores filmes “splatter” do cinema como “Fome Animal” (Braindead, 1992) ou “Renascido do Inferno” (Hellraiser, 1987). E no Brasil, bandas como “Sarcófago”, com faixas tipo “Recrucify” (gutural invocação às trevas para recrucificar Cristo), ou “Sepultura” (que hoje é um grande sucesso fora do país), principalmente no início de carreira em seus primeiros trabalhos, os álbuns “Bestial Devastation” e “Morbid Visions”, também referenciam o “Horror” em suas músicas. Outras bandas de estilo musical mais suave como o “Heavy Metal” de Alice Cooper ou King Diamond utilizam o Horror em suas letras, mas nada de forma tão agressiva como o “Death Metal”.
Em alguns casos o material lírico são verdadeiros contos sangrentos, onde não faltam decapitações, esquartejamentos, carnificinas, mortos-vivos em decomposição e todo e qualquer tipo de atrocidades, com muito, muito sangue em profusão, como em “Mutilation”, do “Death”, “The Cyptic Stench” e “Beyond the Cemetery”, do “Cannibal Corpse”, ou “Blood Pit of Horror”, do “Impetigo”, que mostra a agonia e desespero de uma mulher sendo ferozmente torturada num aparelho que estica seus ossos até trincarem.
Outras letras falam de insanidade e obsessão pela morte, evidenciando uma mórbida atração pelo lado obscuro do além e a satisfação de ter suas carcaças podres de vísceras e ossos sendo devoradas por vermes pestilentos.
Há também a vertente do satanismo e bruxaria, onde as letras falam de legiões de demônios malignos asquerosos aliados a anticristãos na incessante batalha contra o Bem, destruindo igrejas e massacrando anjos, santos, padres e todos os seguidores de Cristo, não poupando nem as freiras, que são estupradas violentamente por demônios putrefatos, como em “The Invocation”, do “Morbid Angel”, que narra a invocação gutural de um demônio, “Sacrificial Suicide” e “In Hell I Burn”, do “Deicide”, ou “Satan’s Curse” do “Possessed”.
Outras bandas referenciam explicitamente grandes clássicos do cinema como “O Exorcista” (The Exorcist, 1973) e “The Evil Dead” (1982), homenageados por “Possessed” e “Death” respectivamente, ou grandes obras da literatura como em “Dead By Dawn”, do “Deicide”, referenciando o livro dos mortos Necronomicon, criado por H. P. Lovecraft.
O “Horror” e o “Death Metal” são agressivos por natureza e há uma forte ligação entre eles devido à violência de suas propostas de chocar as pessoas. Porém, ambos possuem um único objetivo que é o de entreter os fãs, através de ficção e músicas agressivas. O que realmente assusta é a violência urbana e a realidade de um mundo em constantes conflitos e guerras, que nos obriga a sermos agressivos e fortes também para sobrevivermos em meio ao caos. E a ficção e a música resumem-se numa única palavra: DIVERSÃO!

... I like to slide my hand inside your stomach and rip out the putrid remains, drink the pus and munch on internal organs...”
“... Eu gosto de deslizar minha mão por dentro de seu estômago e rasgar as sobras pútridas, beber o pus e mastigar os órgãos internos...
” - “Psychopathologist”, da banda “Carcass”

Nota do Autor: Esse texto foi escrito originalmente em 1995 e publicado na extinta revista “Horrorshow”, número 1, da Editora Escala (São Paulo/SP). Portanto, é um texto datado, descrevendo eventos da época. Muita informação surgiu desde então, nesses últimos anos, mas independente disto, o texto pode servir como uma referência do poder criativo resultante da agressiva união entre o Horror e o Death Metal no período abordado.

“Horror Metal” – site: www.bocadoinferno.com / blog: www.juvenatrix.blogspot.com (postado em 05/04/06)