Daqui a Cem Anos (Things to Come, Inglaterra, 1936)


“O fim está próximo. A vitória está chegando. O inimigo está próximo de ser destruído. Algumas aeronaves não foram localizadas. Evite áreas onde bombas caíram, pois estão infectadas pela Peste dos Errantes. Não beba água estagnada.” – trecho de um jornal de Setembro de 1964

Em 1940 o mundo está às voltas novamente com a ameaça de uma guerra mundial. O medo da população é grande, principalmente com um ataque de gases letais, levando todos a procurar proteção em máscaras contra gases. O conflito chega trazendo destruição por muitos anos e como principal consequência do colapso geral, surge em 1966 uma doença terrível, chamada de “Peste dos Errantes”, onde os infectados passam a caminhar como zumbis desnorteados, espalhando o horror pelo mundo devastado e sendo dizimados friamente com tiros certeiros. Parte da humanidade do pós-guerra regride tecnologicamente e volta para uma condição de barbárie, com uma luta selvagem constante pela sobrevivência.

Surgem então pequenas comunidades independentes e totalitárias. Uma deles é comandada por um militar tirano (Ralph Richardson) conhecido como “O Chefe”. Em determinado momento, eles recebem a visita inesperada de um avião pilotado por John Cabal (Raymond Massey), um representante de uma sociedade pacifista que preza “a irmandade da eficiência” e “a liberdade da ciência”. E que, ao contrário de boa parte da população, não regridiu e ainda conseguiu manter conquistas importantes como voar pelos céus a bordo de aviões, algo impensável para muitos após a guerra. O visitante veio em missão de paz, tentando introduzir nos grupos isolados novamente um conceito de civilidade, mas logo é preso e considerado uma ameaça. Porém, ele consegue escapar com a ajuda de um mecânico de aviões, Richard Gordon (Derrick De Marney).

Mais algumas décadas se passam e a humanidade progride tecnologicamente vivendo em 2035 em belas cidades futuristas rodeadas de máquinas e carros voadores, estando prestes a realizar uma viagem espacial com destino à Lua, através de uma cápsula lançada por um imenso canhão. Mas, novamente surge uma crise com a população inflamada se revoltando contra o progresso, colocando-o como o responsável pelas guerras que devastaram o planeta no passado. Reunidos num grupo numeroso, eles decidem destruir o canhão espacial, símbolo máximo desse progresso supostamente letal. Porém, antes de conseguirem o objetivo, uma cápsula pilotada por um casal de jovens aventureiros intrépidos, é lançada ao espaço pelo canhão, iniciando uma exploração espacial e uma possível nova era para a humanidade.

Daqui a Cem Anos” (Things to Come, Inglaterra, 1936), dirigido por William Cameron Menzies, é um filme com história baseada na obra do cultuado escritor inglês de Ficção Científica H. G. Wells (1866 / 1946). Apesar de sua importância para o gênero, é um filme menos conhecido em comparação com outros mais populares como “A Guerra dos Mundos” (1953) e “A Máquina do Tempo” (1960), também inspirados em sua literatura. Wells escreveu muitos livros divertidos que se transformaram em filmes, e por sua formação científica, suas histórias ganharam um cuidado maior com os aspectos da ciência ao invés, por exemplo, dos livros do escritor francês Jules Verne, que também se destacavam pela diversão, mas com histórias mais voltadas para a fantasia descompromissada com a ciência. A obra de H. G. Wells desfilou por vários temas interessantes como viagens no tempo e invasão alienígena (os já citados “A Máquina do Tempo” e “A Guerra dos Mundos”), além de manipulação genética (“A Ilha do Dr. Moreau”), viagens espaciais (“Os Primeiros Homens na Lua”), cientistas loucos (“O Homem Invisível”) e efeitos radiativos (“O Alimento dos Deuses”), entre outros.

Daqui a Cem Anos” foi lançado em DVD no Brasil em 2007 pela “NFK Filmes”, dentro de sua coleção de Ficção Científica e Fantasia. O filme, com fotografia em preto e branco, apesar de apresentar um elenco com atuações nitidamente teatrais, possui efeitos especiais muito interessantes principalmente para a época da produção, na longínqua década de 1930. Entre os destaques, temos os aviões imensos, os prédios enormes com elevadores panorâmicos e arquitetura futurista (similar ao clássico alemão “Metrópolis”, 1926) e a plataforma colossal abrigando o canhão espacial.

“Nunca contabilizaram a devastação causada pela Peste dos Errantes, assim como a peste negra na Idade Média. Ela matou mais da metade da humanidade. Ninguém que a contraiu sobreviveu. Aos poucos, viram que a epidemia havia terminado e que a vitalidade social estava retornando.”

Daqui a Cem Anos” (Things to Come, Inglaterra, 1936) # 563 – data: 27/02/11

www.juvenatrix.blogspot.com (postado em 27/02/11)