Vincent Price (1911 / 1993)

Em 26 de outubro de 1993 o cinema de horror perdeu um dos seus maiores artistas, o ator Vincent Price, que morreu aos 82 anos de idade com problemas de câncer no pulmão.
Ao longo de sua bem sucedida carreira cinematográfica, ele realizou mais de 50 filmes, sendo aproximadamente 40 deles no gênero fantástico, e dentro de sua obra encontram-se diversos clássicos absolutos como “Museu de Cera” (1953), “A Mosca da Cabeça Branca” (58), “O Corvo” (63), ou “O Abominável Dr. Phibes” (71).
Price tornou-se um dos grandes expoentes do cinema de horror e ficção científica de todos os tempos e juntou-se ao magnífico time de astros imortais como Bela Lugosi (1882 / 1956), Boris Karloff (1887 / 1969), John Carradine (1906 / 1988), Peter Cushing (1913 / 1994), e Christopher Lee (1922), este último o único ainda vivo e na ativa, como pudemos conferir em “A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça (99)”, “O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel” (2001), “O Senhor dos Anéis: As Duas Torres” (2002), “Star Wars: Episódio II – Ataque dos Clones” (2002), “Star Wars: Episódio III – A Vingança dos Sith” (2005), “Rios Vermelhos 2: Anjos do Apocalipse” (2004), e outros.
Vincent Price nasceu em 1911 em St. Louis, Missouri, Estados Unidos, sendo filho de uma família empresarial rica. Iniciou sua carreira artística no teatro e teve sua estréia no cinema com “Service Deluxe” (38), seguido por sua estréia no gênero que o consagrou, o horror, com “Tower of London” (39), ao lado de Boris Karloff e Basil Rathbone, onde apareceu brevemente como um personagem que morre afogado em um barril de vinho.
Inicialmente escalado para ser um ator sedutor e romântico, devido a sua inegável classe natural, ele acabou encontrando o seu real espaço como um refinado vilão de horror.
Na década de 60, conheceu o lendário produtor/diretor Roger Corman e sua parceria com esse mito da produção “B” fantástica resultou em inúmeros filmes clássicos, a maioria baseados na literatura macabra e sombria de Edgar Allan Poe, como “O Solar Maldito” (60), “A Mansão do Terror” (61), “Muralhas do Pavor” (62), “O Corvo” (63), este baseado no célebre poema homônimo e com a participação de Jack Nicholson em início de carreira, “A Máscara Mortal” (64), “O Túmulo Sinistro” (64), e “O Ataúde do Morto-Vivo” (69), este sendo o primeiro trabalho ao lado de Christopher Lee.
Em 1963, também com Roger Corman, Price fez o primeiro filme baseado na literatura indizível de Howard Philips Lovecraft, com “O Castelo Assombrado” (The Haunted Palace), inspirado na famosa história “O Caso de Charles Dexter Ward”, que faz parte do universo ficcional dos “Mitos de Cthulhu”.
Vincent Price também interpretou, ao longo de sua carreira, inúmeros cientistas loucos em meio as suas invenções e experiências macabras, como podemos ver, entre outros, no divertidíssimo e típico exemplar da nostálgica “sessão da tarde da TV Globo” “Robur, o Conquistador do Mundo” (61), com roteiro do especialista Richard Matheson baseado em obra de Jules Verne, onde fez um pacifista que inventa uma poderosa fortaleza voadora em pleno 1868, com o objetivo de destruir os armamentos militares da época, acabando assim com as guerras a força, e passando com isso a ser ele o vilão da história.
No início da década de 70 o ator associou sua imagem ao psicopata desfigurado Dr. Phibes, numa série de 2 filmes clássicos dirigidos por Robert Fuest, “O Abominável Dr. Phibes” (71) e “A Câmara de Horrores do Abominável Dr. Phibes / A Vingança do Dr. Phibes” (72). Ele interpretou um aristocrático “serial killer” que dizimava suas vítimas com classe e inteligência singulares, mostrando como deve ser exercido esse nobre ofício a outros psicopatas inferiores como Jason Voorhees (“Sexta-Feira 13”) ou Michael Myers (“Halloween”). Outro filme dentro desse estilo, e um dos mais preferidos pessoalmente por Price, foi “As Sete Máscaras da Morte / Teatro da Morte” (73), onde fez um talentoso ator teatral que simula suicídio para poder se vingar de seus algozes críticos, chacinando-os com maestria e sutileza, inspirando-se nas peças teatrais de William Shakespeare.
Apesar de sua imagem macabra e necrofílica no cinema, poucos fãs sabem, mas Price foi na vida real um “expert” colecionador de obras de arte e um famoso mestre “gourmet”, publicando inclusive vários livros sobre arte e culinária, e sendo muito respeitado dentro desse meio.
Suas performances como vilão de horror são impagáveis e seu estilo irônico e humorístico pode ser apreciado em obras primas do humor negro como “Muralhas do Pavor” (62), “O Corvo” (63) e “Farsa Trágica” (63), contracenando com atores de um nível de Peter Lorre (engraçadíssimo), Boris Karloff e Basil Rathbone, que juntos foram responsáveis por várias das mais divertidas seqüências de toda a história do cinema de horror com elementos de humor. Como em “Farsa Trágica”, na cena onde Price (um dono de funerária a caminho da falência) tenta envenenar Rathbone (proprietário do imóvel o qual Price está atrasado com o aluguel há meses).
Price teve passagens marcantes também pela televisão, como na série “Batman” (1966), interpretando o impagável vilão “Cabeça de Ovo” ou como o apresentador da série “Mystery Theatre” por vários anos. E emprestou sua voz cavernosa para, entre outros, um discurso de horror no videoclip “Thriller” de Michael Jackson, onde o popular cantor se transformou em lobisomem numa noite de lua cheia (sempre o velho clichê...).
A partir dos anos 80 suas participações foram se tornando cada vez mais raras e escassas, e geralmente sua presença, mesmo que pequena, é que salvava as produções infinitamente inferiores às das décadas anteriores. O destaque desse período foi “A Mansão da Meia-Noite” (83), principalmente por ser o único filme na história a reunir os monstros sagrados Price, Christopher Lee, Peter Cushing e John Carradine juntos, e “Banho de Sangue na Casa da Morte” (85), uma comédia de humor negro onde Price interpretou um sinistro satanista envolvido em rituais sangrentos.
Seu último trabalho foi com a belíssima fantasia “Edward Mãos de Tesoura” (90), de Tim Burton e com Johnny Depp, onde interpretou o que de melhor ele fazia em sua carreira: um excêntrico cientista “louco” recluso em sua enorme e gótica mansão. Aqui ele “cria” um jovem garoto (Depp), mas morre antes de substituir as tesouras que lhe servem de mãos. Price aparece em apenas magistrais 5 minutos e foi o suficiente para um merecido encerramento com chaves de ouro à sua extraordinária carreira de mais de 50 anos, entre teatro, televisão e cinema.
Vincent Price permanecerá imortal através de seus fascinantes e incontáveis filmes, e inesquecível por suas irônicas interpretações sempre lembrando lordes aristocráticos com sua classe única, além é claro, do seu imponente e inconfundível vozeirão gutural, eternamente ligado aos seus macabros personagens do cinema. Caracterizações que foram alguns dos melhores vilões da história do horror. Price não morreu e seu fantasma continuará vagando entre nós através de seus filmes de puro entretenimento.

Filmografia selecionada de Vincent Price

Observação: Os filmes lançados no Brasil em DVD estão indicados, assim como também aqueles que já foram lançados por aqui em vídeo VHS, e fora de catálogo.

* A Torre de Londres (Tower of London, 39)
* A Volta do Homem Invisível (The Invisible Man Returns, 40)
* Abbott e Costello Encontram Frankenstein (Abbott and costello Meet Frankenstein, 48) - como a voz do Homem Invisível, no final do filme
* Museu de Cera (House of Wax, 53) (DVD)
* A Máscara do Mágico (The Mad Magician, 54)
* A Mosca da Cabeça Branca (The Fly, 58) (DVD)
* A Casa dos Maus Espíritos (House on Haunted Hill, 58) (DVD)
* O Monstro de Mil Olhos (Return of the Fly, 59)
* A Mansão do Morcego (The Bat, 59) (DVD)
* Força Diabólica (The Tingler, 59) (DVD)
* A Casa de Usher / O Solar Maldito (The House of Usher, 60) (DVD)
* A Mansão do Terror (The Pit and the Pendulum, 61)
* Robur, o Conquistador do Mundo (Master of the World, 61) (VHS)
* Muralhas do Pavor (Tales of Terror, 62) (VHS)
* Vício Que Mata (Confessions of an Opium Eater, 62)
* A Torre de Londres (Tower of London, 62)
* O Corvo (The Raven, 63) (VHS) (DVD)
* Diário de Um Louco (Diary of a Madman, 63)
* Farsa Trágica (The Comedy of Terrors, 63) (VHS)
* O Castelo Assombrado (The Haunted Palace, 63) (VHS)
* Nos Domínios do Terror (Twice-Told Tales, 63)
* A Máscara Mortal / Orgia da Morte (The Masque of the Red Death, 64)
* O Último Homem Sobre a Terra / Mortos Que Matam (The Last Man on Earth, 64) (DVD)
* O Túmulo Sinistro (The Tomb of Ligeia, 64)
* A Máquina de Fazer Biquinis (Dr. Goldfoot and the Bikini Machine, 65)
* O Caçador de Bruxas (The Conqueror Worm / Matthew Hopkins: Witchfinder General, 68) (DVD)
* O Ataúde do Morto-Vivo (The Oblong Box, 69)
* Agonia do Terror / Grite, Grite Outra Vez (Scream and Scream Again, 69) (VHS)
* Cry of the Banshee (70)
* O Abominável Dr. Phibes (The Abominable Dr. Phibes, 71) (DVD) (VHS)
* A Câmara de Horrores do Abominável Dr. Phibes / A Vingança do Dr. Phibes (Dr. Phibes Rises Again, 72) (VHS)
* As Sete Máscaras da Morte / Teatro da Morte (Theatre of Blood, 73) (DVD)
* A Casa do Terror / A Casa dos Rituais Satânicos (Mad House, 74) (VHS)
* Jornada do Pavor (Journey Into Fear, 75)
* O Clube dos Monstros (The Monster Club, 80) (VHS)
* Romance in the Jugular Vein (80)
* A Mansão da Meia-Noite (House of the Long Shadows, 83) (VHS)
* Banho de Sangue na Casa da Morte (Bloodbath at the House of Death, 85) (VHS)
* Do Sussurro ao Grito (From a Whisper to a Scream, 87) (VHS)
* Policiais em Apuros (Dead Heat, 88) (VHS)
* Edward Mãos-de-Tesoura (Edward Scissorhands, 90) (DVD) (VHS)

“Vincent Price”
site: www.bocadoinferno.com / blog: www.juvenatrix.blogspot.com (postado em 09/03/06)